Como lidar com uma pandemia global?

outubro 28, 2020

  1. Neuroplasticidade – É verdade que o cérebro e o sistema nervoso funcionam como uma máquina adaptativa. Se conduzires numa estrada de cascalho, o carro irá mentalmente transformar-se num jipe, e na pista de Fórmula 1 transformar-se-á num carro de corrida. Esta propriedade da neuroplasticidade é sem dúvida, a razão pela qual somos os gestores do planeta e das espécies dominantes. Graças à nossa capacidade de mudança, também podemos lidar com crises graves. Só precisamos de sermos conscientes dos nossos incríveis poderes, que se manifestam na neuroplasticidade.

 

  1. Encontrar um objetivo em tempos de crise – Como pessoas, temos a capacidade consciente de dosear a nós próprios as recompensas da dopamina de uma forma muito subjetiva. O Dr. Huberman pensa que o nível de dopamina em tempos de crise é que desempenha um papel muito importante. O doutor menciona os famosos exemplos de Viktor Frankl ou Nélson Mandela, que em circunstâncias terríveis tiveram de sofrer muito, mas os dois encontraram mecanismos internos que lhes permitiram vencer e não só sobreviver, mas também lhes deram a capacidade de se desenvolverem face a adversidades extremas. As pessoas que superam os obstáculos e a pandemia do Coronavírus são um excelente exemplo, podem aprender a dosear as recompensas da dopamina, que podem aproveitar mais tarde na vida.

 

  1. Encontrar o sentido da vida durante a pandemia – Neste momento estamos no meio da segunda vaga da pandemia de COVID-19 e todos os dias de manhã devemos ficar gratos porque ainda estamos vivos, somos capazes de respirar, ganhamos cada dia, até que venceremos definitivamente. Não só porque queremos sentir-nos bem, o que é um subproduto deste pensamento positivo, mas também para compensar este tempo que repele os circuitos nocivos que nos obrigam a reforçar o nosso sistema imunitário. Huberman não vê este pensamento positivo como um truque, porque para ele um truque é algo que usa uma coisa existente para outro propósito.
  1. A vida com desilusões e fracassos – Huberman explica o que é um erro na previsão de recompensas e como o que tem de ver com situações em que uma pessoa se sente desiludida após um resultado esperado. Especialmente agora, quando a pandemia está a piorar, temos de aprender a viver com falhas. A quantidade de dopamina que recebemos antes de atingirmos o nosso objetivo deve ser inferior à quantidade de dopamina que recebemos quando atingimos o nosso objetivo. A dopamina que nos conduzirá à linha da meta deve ser produzida em maior quantidade do que a dopamina que tínhamos a caminho do nosso objetivo. Esta verdade universal aplica-se também a uma pandemia global.

 

  1. Como amigos e família afetam os nossos cérebros para nos sentirmos melhor, mesmo em tempos difíceis como a pandemia – Existem muitas hormonas, como a serotonina e a oxitocina que afetam o nosso bem-estar e nos recompensam por tentarmos tornar coisas que estão fora do nosso alcance agora disponíveis para nós no futuro, porque fazem parte da nossa esfera pessoal de existência. Estas substâncias são libertadas quando encontramos as pessoas mais queridas, quando vemos amigos e por vezes até quando olhamos para coisas que são importantes para nós. Parecem edificantes porque ativam certos circuitos nervosos que ligam os intestinos e o cérebro e criam uma sensação de calor na parte superior do corpo. São extremamente importantes durante uma pandemia.

 

  1. Stress e Coronavírus – Algumas pessoas sentem-se sobrecarregadas e esgotadas porque fazemos muito mais a cada dia, o que é conhecido como processamento em série. Dantes levantávamo-nos, escovávamos os dentes, olhávamos para o nosso telemóvel e lidávamos com esse dia. Agora temos de pensar se podemos tocar na maçaneta quando fazemos compras de mercearia. Há muito mais planeamento nas nossas vidas… pensamos muito mais sobre coisas em que não tínhamos de pensar antes da pandemia. Estamos atualmente num estado de profunda incerteza. Normalmente o cérebro quer saber três coisas: a duração da crise, a forma correta de a atravessar e o resultado final. O sistema nervoso funciona 100x ou 1000x mais intensamente em tempos de crise para que a maioria das pessoas descubra o que vai acontecer a seguir e o que uma pessoa pode fazer para controlar a sua situação. Acontecimentos tais como uma pandemia tornam o sistema nervoso muito mais irritado. Devido a este estímulo, também pode usar esta intensificação para outros aspetos positivos porque o nosso sistema nervoso já foi provocado!