Porque é que as pessoas não acreditam em si próprias?

Já ouviste falar que 75% dos bilionários terem feito a sua riqueza a partir do zero e a maior parte deles terem nascido em famílias muito pobres?

Já reparaste que muitos excelentes jogadores de futebol não têm ninguém na família que tenha tido sucesso no futebol?

Mas infelizmente há muito poucas pessoas tão bem sucedidas que tenham tornado os seus maiores sonhos realidade. Olha à tua volta e conta o quão pequena é esta percentagem.

Porquê? Porque ainda existe uma convicção tão limitada na maioria de nós que os genes são responsáveis por quem nos tornamos e o que alcançamos. Muitas pessoas seguem os passos dos seus pais não porque o queiram, mas porque tal modelo foi incutido na infância deles e seguem-no cegamente. Há tão pouca gente que mudou radicalmente o seu destino, precisamente porque tão pouca está a tentar fazer isso.

E se pelo menos acreditassem que são os nossos organismos que se adaptam ao nosso meio ambiente, no qual já temos influência (uma teoria confirmada pela investigação), então eles próprios poderiam projetar as suas vidas como um punhado de pessoas bem sucedidas o fizeram.

Lembra-te: És tu que decides o teu fado e o teu destino!

Como levar a vida com as próprias mãos?

O Dr. Bruce Lipton descreveu uma experiência muito interessante. Na Índia, pequenos elefantes são amarrados com uma das pernas a um poste com uma corda forte, o animal tenta libertar-se mas obviamente não tem força suficiente. Desde então, o animal tem associado a corda à escravidão e algo mais forte do que ele próprio. Quando o elefante se torna um animal adulto e forte, e quando a perna dele é atada com uma corda de novo – nem sequer tenta libertar-se! Na realidade, ele poderia facilmente partir a corda e mesmo tirar o poste mas nunca o saberá, porque as associações dele são tão fortes que a própria visão da corda o faz temer.

Este exemplo ilustra perfeitamente como as nossas experiências e associações da infância afetam a nossa vida adulta e limitam-nos.

Por exemplo, se alguém teve um problema na sua infância com colegas que os gozavam na escola ou simplesmente não era apreciado pelas outras crianças na sua idade, na vida adulta evita companhia, e nem sequer tenta conhecer novas pessoas. Infelizmente, tal pessoa nunca descobrirá que poderia ser a alma de um grupo e ter muitos amigos verdadeiros à sua volta.

Se alguém na infância teve problemas de aprendizagem, más notas, ou talvez até ouviu comentários desagradáveis dos professores sobre a sua inteligência, então esta pessoa na vida adulta desiste de aprender coisas novas, por exemplo, línguas porque assume antecipadamente que isso não vai funcionar, porque no seu subconsciente ainda existem aquelas convicções limitadoras assimiladas na sua infância.

Curiosamente, no Reino Unido foram realizadas investigações sobre 300 milionários que alcançaram o seu próprio sucesso. 44% deles são disléxicos, e 61% deles tiveram um fraco desempenho escolar. 

Isto significa que se determinares as tuas capacidades intelectuais com base nos teus resultados escolares, poderás perder a oportunidade de te tornares milionário. O que achas?

Como aplicar este conhecimento na prática?
  • Se o nosso ambiente influencia a forma como o nosso organismo se comporta, é preciso cuidares principalmente dele. Acima de tudo, afasta-te das pessoas tóxicas e começa a rodear-te de pessoas, coisas e atividades que te motivam, levantam o teu espírito e dão-te alegria.

 Leva isso a sério, por exemplo, para de observar nas redes sociais pessoas que fingem ter uma vida perfeita e provocam em ti complexos, e começa a observar aqueles que partilham conhecimentos e motivam-te a trabalhar.

  • As últimas pesquisas mostram que 90% de todas as doenças são causadas pelo stress. Aprende a lidar com o stress, e tenta evitá-lo a todo o custo (isto está ligado ao primeiro ponto, pessoas tóxicas = stress elevado).
  • Pensa nas convicções limitadoras sobre a tua pessoa desde a infância, e torna uma prioridade livrar-te delas. Na infância eras tímido mas sonhas em ser uma pessoa de sucesso? Começa a trabalhar nisso, pensa em ti próprio como uma pessoa corajosa, dá pequenos passos, por exemplo, tenta contar uma história enquanto estás acompanhado, e assim o teu corpo irá adaptar-se ao novo ambiente.
Pode-se aprender tudo?

 Nos artigos anteriores já escrevemos sobre neuroplasticidade cerebral, nomeadamente que o nosso cérebro é capaz de aprender e desenvolver-se ao longo da vida. Se sonhas em aprender qualquer atividade, só precisas de praticar com entusiasmo, e por fim terás sucesso – não importa quantos anos tens. (Mais aqui: https://pr.younr1.com/how-to-succeed-when-you-dont-have-talent/)

 

Só porque não tens sido bom em algo ou ainda não és bom em algo, não significa que não podes mudar isso.  Afinal, Michael Jordan não entrou na equipa de basquetebol escolar, e mesmo assim tornou-se o melhor jogador de basquetebol do mundo. Robert Lewandowski teve dificuldade em marcar um golo na baliza vazia, e hoje é o rei dos marcadores e o melhor jogador de futebol do mundo (2020). Se também rejeitares convicções erradas sobre ti, mesmo que tivesses falhado alguma coisa, também podes tornar os teus sonhos realidade!

(Mais histórias inspiradoras aqui: https://pr.younr1.com/motivation/inspiring-stories/)

Tal como um elefante não sabe quanta força tem, também tu não sabes quanto podes alcançar enquanto não tentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *